18 de July, 2024
CRIANÇAS entregam petição pela defesa da Quinta dos Ingleses na Assembleia da República
Ambiente Destaques

CRIANÇAS entregam petição pela defesa da Quinta dos Ingleses na Assembleia da República

Mai 17, 2024

Por Redação | 17h20

Três crianças – o Benjamim, a Diana e a Pilar – que usam regularmente a Quinta dos Ingleses e a querem ver preservada, acompanhadas da primeira peticionária, Silvie Lai, e dos dois vice-presidentes da SOS Quinta dos Ingleses, entregaram em mão, esta quarta-feira, de manhã, ao Vice-Presidente da Assembleia da República, Marcos Perestrello, em representação do respetivo presidente, a petição pública lançada por uma munícipe, em agosto de 2023, que reuniu 8.288 assinaturas. Esta petição seguirá agora para análise por uma comissão parlamentar, devendo a questão ser discutida em breve em plenário da Assembleia da República.

Em simultâneo, junto à Assembleia da República, a associação ambiental SOS Quinta dos Ingleses e o movimento Alvorada da Floresta organizaram uma manifestação, que contou com a presença de cerca de 50 pessoas, além de uma performance pela artista Regina Frank e da escultura Alice, do artista plástico Superlinox.

A defesa desta área da orla costeira continua a merecer uma enorme adesão na população de Carcavelos e tem vindo a obter cada vez maior relevo mediático nos últimos tempos, enquanto, ao mesmo tempo, no local, foi completada a vedação pela empresa Alves Ribeiro, S.A., e pela St. Julian’s Association, proprietárias do terreno e responsáveis pela construção dos 850 apartamentos, 156 apartamentos turísticos, hotel, e áreas comerciais. A entrada de pessoas e veículos encontra-se igualmente proibida, podendo apenas circular dentro de toda a área as pessoas que ainda estão acampadas e que terão de sair até ao final deste mês.

Entretanto, segundo Cascais24Horas apurou, ex-alunos, pais e alunos do colégio St. Julian’s têm vindo a contestar a participação da escola neste megaempreendimento, pelas consequências que isso terá para a saúde das crianças e pela destruição de uma área verde, que consideram essencial, considerando um contrassenso que uma instituição como o St. Julian’s esteja ativamente a defender, na ação judicial em curso e no consórcio com a Alves Ribeiro, a eliminação desta mata centenária que a Companhia de Telégrafos que ali se instalou no séc. XIX criou, e à qual as memórias da escola e da presença dos ingleses se encontram intimamente associadas, numa altura em que as alterações climáticas se fazem sentir cada vez mais. Pais, alunos e antigos alunos consideram que isso é totalmente contrário àquilo que a escola ensina e àquele que foi o envolvimento da escola na comunidade local desde a sua criação.

A SOS Quinta dos Ingleses – Associação Ambiental sublinhou que “o número de assinaturas recolhidas pela petição – e que continua a crescer – demonstra bem que não têm qualquer fundamento as declarações do Presidente da Câmara, Carlos Carreiras, sobre serem “sempre os mesmos” e “cada vez menos” os que apoiam a preservação da Quinta dos Ingleses”.

Ainda segundo a SOS Quinta dos Ingleses, foram solicitadas e estão marcadas reuniões com os partidos políticos com assento parlamentar e há projetos de diversos partidos para a proteção desta área, não sem considerar “gravíssimo que, a partir de agora e quando já se iniciou a época balnear, a população deixe de poder usufruir do espaço verde e de frequentar a Praia de Carcavelos, por não ter onde estacionar, designadamente as crianças que, anualmente, ali vão com as escolas”.

Para esta Associação, “o ecocídio iminente tem de ser travado a todo o custo”.

Já esta quinta-feira, recorda-se, foi divulgado o relatório da Agência Europeia do Ambiente que considera que os países europeus têm de se preparar com urgência para os problemas relacionados com as cheias e a escassez de água e que
recomenda a limitação do desenvolvimento das cidades em áreas mais susceptíveis a cheias e inundações (como é o caso de Carcavelos), e a relocalização das construções em áreas costeiras.

“Face ao conhecimento científico atual e a estas recomendações da União Europeia, continuar com o projeto aprovado pela Câmara de Cascais para a Quinta dos Ingleses é um crime contra Cascais e contra as gerações presentes e futuras”, declarou Pedro Jordão, vice-presidente da SOS Quinta dos Ingleses.

1 Comment

  • Excelente notícia sobre a Quinta dos Ingleses, bem explicita sobre o crime ambiental, a autarquia de Cascais contra todos os indicadores de uma catástrofe eminente futura, teima de forma prepotente manter colocando em risco a população.

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *