18 de July, 2024
PRESIDENTE da Tratolixo elogia munícipes pela “consciencialização ambiental” na distribuição de biorresíduos
Ambiente Destaques

PRESIDENTE da Tratolixo elogia munícipes pela “consciencialização ambiental” na distribuição de biorresíduos

Mai 2, 2024
NUNO Soares, presidente da Tratolixo

Por Valdemar Pinheiro | 20h10

O presidente do conselho de administração da Tratolixo, Nuno Soares, elogia e atribui aos munícipes de Cascais, Oeiras, Sintra e Mafra o sucesso alcançado no ano passado pela empresa, que rececionou e tratou 61.205 mil toneladas de biorresíduos- um crescimento muito significativo em quase 10% das recolhas seletivas.

De acordo com Nuno Soares, esta conquista só foi possível graças “a uma crescente consciencialização ambiental e alteração comportamental dos cidadãos, decorrente dos projetos municipais em curso”.

Sediada em Trajouce, São Domingos de Rana, a Tratolixo foi uma das empresas pioneiras na separação de biorresíduos no País, que trabalha em articulação com as autarquias dos quatro municípios.

Também o projeto dos sacos verdes para os biorresíduos alimentares registou um aumento superior a 250% comparativamente a 2022. A aposta na sensibilização ambiental na Associação de Municípios de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra para o Tratamento de Resíduos Sólidos e a implementação de projetos de recolha seletiva nas áreas de atuação da Tratolixo contribuíram para este desempenho.

Recorda-se que a recolha seletiva de biorresíduos é obrigatória em Portugal desde janeiro de 2024, mas a Tratolixo foi uma das empresas pioneiras na separação destes resíduos, tendo, em articulação com os municípios da sua área de atuação, iniciado em 2019  quatro projetos-piloto que, no seu total, abrangeram mais de 20.000 famílias.  

Segundo a empresa, o maior crescimento foi registado nos resíduos verdes tendo sido recolhidas 50 mil 654 toneladas (mais 9,7% face ao ano anterior). No caso dos resíduos alimentares, foram recolhidas 10 mil 551 toneladas (mais 7,8% do que em 2022).

No final de 2023, a recolha de biorresíduos abrangia mais de 32% da população dos quatro municípios, ou seja, quase 100 mil famílias, e esta tipologia de recolha representa um peso total de 13% da atividade da Tratolixo. Recorde-se que os sacos verdes permitem à população separar os resíduos de alimentação de forma simples e colocar no contentor de resíduos indiferenciados e este projeto representa por si a recolha de 4 mil toneladas, o que significa uma evolução positiva de 253,60% em comparação com 2022.

Segundo Nuno Soares, presidente do conselho de administração da Tratolixo, “os resultados alcançados em 2023 em termos de recolhas de biorresíduos são muito relevantes”, tendo o mesmo responsável destacado “o êxito da implementação dos sacos verdes, que permitem a recolha dos resíduos alimentares e o tratamento de forma seletiva, maximizando a valorização deste recurso”.

Ainda segundo o mesmo responsável, “antecipando a entrada em vigor a 1 de janeiro deste ano da obrigatoriedade da recolha seletiva de biorresíduos, os quatro municípios trabalharam ativamente na sensibilização da população para a importância da separação adequada dos biorresíduos e em particular dos restos de comida. Os valores alcançados revelam, assim, uma crescente consciencialização ambiental e alteração comportamental dos cidadãos, decorrente dos projetos municipais em curso, sendo um indicador de desempenho animador para o cumprimento das metas previstas no PERSU 2030”.

“Enquanto empresa intermunicipal responsável pelo serviço público de tratamento de resíduos urbanos produzidos por 864 mil habitantes dos municípios de Cascais, Oeiras, Sintra e Mafra, a Tratolixo está comprometida em continuar a apostar em projetos que contribuam para manter e potenciar positivamente estes avanços ambientais no que diz respeito às recolhas de resíduos”, assegura o presidente do conselho de administração da Tratolixo.

TRATOLIXO está sediada em Trajouce

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *